Seja bem vindo!





Seja bem vindo!

Garanto que vai gostar das informações sobre Educação Econômica e outras assuntos super atuais.

Não esqueça de se cadastrar para receber novas informações. Divulgue este blog para seus amigos. Suas sugestões serão sempre bem-vindas!

Um abraço



Maria



segunda-feira, 11 de novembro de 2013

O lado duvidoso do elogio

Muitas pessoas acreditam que criticar o lado negativo pode ajudar alguém tomar consciência do que faz. Isso, no entanto, só traz PREJUÍZO, especialmente, para a criança. Por outro lado, observar só o lado positivo pode trazer outro problema, impedir com que a criança não aceite novos desafios e não supere a si próprio ao longo de sua vida.
O elogio constante: COMO VOCÊ É INTELIGENTE, é tão prejudicial quanto a exacerbação do ponto negativo.
Equilíbrio na educação dos filhos é fundamental, e a utilização da linguagem descritiva auxilia muito a tomar consciência das ações sem ficar preso à juízos de valor que "medem" a criança (ou a pessoa) desnecessariamente.
Leiam essa interessante matéria
http://clinicaalamedas.wordpress.com/2013/09/02/o-que-acontece-quando-voce-fica-elogiando-a-inteligencia-de-uma-crianca/

quarta-feira, 6 de novembro de 2013

Publicidade de fast-food para crianças

No link http://www.upworthy.com/dear-homies-who-say-health-is-just-about-the-choices-you-make-i-present-to-you-reality?c=tkp1
é possível ver uma interessante comparação que é feita sobre as estratégias de persuasão que duas grandes redes de Fast- Food utilizam para cativar seus pequenos clientes. Basicamente elas: 
1) miram as crianças; 
2) associam felicidade com o ato de comer; 
3) 79% delas apresentam peças publicitárias em 4 grandes canais de TV, especialmente Cartoon; 
5) Investem pesado na marca para influenciar as crianças; 
6) As propagandas enfatizam o prêmio que vem com o lanche;
7) Os prêmios são: brinquedos, personagens do cinema, filmes. A publicidade para adultos sobre o lanche enfatiza: o sabor, tamanho da porção e preço.

Não há problema algum em comer um lanche. Mas, quando orientamos as crianças sobre o que está acontecendo, damos condições para que ela reflita sobre o assunto para que possa recusar ser engada.

quarta-feira, 30 de outubro de 2013

Felicidade a todo custo. Geração Y

Ultimamente eu ando soltando o verbo. Sabe quando você cansa de ver pais APAVORADOS porque seus lindos filhos não estão felizes o suficiente?! Ninguém é responsável pela felicidade de ninguém, somos responsáveis por fazermos o melhor de nós mesmos e sermos exemplos para os outros, inclusive nossos filhos. A "genialidade", "esperteza", "capacidade infinita de ser O BOM" é uma camada superficial de verniz com a qual muitos pais revestem seus filhos e, após algum tempo, os filhotes, expostos à intempéries da vida, ficam fragilizados e perdem o "brilho", tornando-se infelizes, incompetentes e impotentes para segurar a barra que é viver dia-a-dia e se estabilizar afetiva, emocional e financeiramente. O link abaixo é ótimo, demonstra a trajetória da  geração Y e sua dificuldade em ser feliz.
Ah, a receitinha básica para educar, na minha humilde opinião, continua a mesma: limites, conversa, frustração, carinho, conversa, compartilhamento ... coisas normais, que aprendi com minha mãe.
http://qga.com.br/comportamento/jovem/2013/09/porque-os-jovens-profissionais-da-geracao-y-estao-infelizes

segunda-feira, 21 de outubro de 2013

Utilização de animais em testes de cosméticos

Creio que seja importante sabermos como descobrir se a empresa utiliza ou não animais em testes de seus produtos.
Caso ela não se declare "cruelty free" (sem crueldade), você pode:
1º Ligar para o SAC (serviço de atendimento ao consumidor);
2º Checar se elas são "cruelty free" , disponibilizados por organizações governamentais, como o PEA (Projeto Esperança Animal)que indicam as empresas nacionais que não utilizam. E no caso das empresas internacionais há o PETA (People for the Ethical Treatment of Animals).
Para maiores informações: http://www.anda.jor.br/14/10/2013/como-saber-se-um-produto-foi-testado-em-animais

quarta-feira, 16 de outubro de 2013

A beleza que ninguém vê!


Pessoal, amei a ideia das fotógrafas Leticia Valverdes, brasileira e Jade Beall, americana, em fotografar "mulheres de verdade". Ou melhor, como o corpo de uma mulher fica, lindamente, marcado após uma gestação.
Num mundo de photoshop, da beleza etérea, brindamos a beleza do tempo, das experiências, das marcas.
Vale a pena ver as imagens.
http://maternar.blogfolha.uol.com.br/2013/10/15/mulheres-mostram-as-marcas-da-maternidade/

quinta-feira, 10 de outubro de 2013

Eletrônicos afetam qualidade do sono de adultos e crianças

Pesquisas comprovam que a qualidade do sono de adulto, crianças e jovens é comprometida se houver o hábito de levar esse tipo de equipamento para a cama. No caso dos mais novos, pode afetar o desenvolvimento. É enganosa a impressão de que ficar no computador, tablets, smartphone provocam prazer e descanso quando utlizados na cama. Vale à pena ler mais sobre o assunto no link: http://cristianonabuco.blogosfera.uol.com.br/2013/10/02/padrao-de-sono-e-afetado-por-aparelhos-eletronicos-no-quarto/

segunda-feira, 7 de outubro de 2013

Jogos violentos: razão X emoção

Vejam que interessante essa reportagem sobre jogos violentos: http://www2.uol.com.br/sciam/noticias/videogames_violentos_tem_efeitos_negativos_em_criancas.html
É importante, mais do que nunca, proporcionar às crianças oportunidades para brincar, interagir entre outras crianças da mesma idade, resolver os conflitos oriundos dessa interação. Não permita que seus filhos fiquem em frente às telas 100% do tempo livre.

quarta-feira, 2 de outubro de 2013

Grupo de Alfabetização Econômica e Educação para o Consumo - GAEEC

O Grupo de Alfabetização Econômica e Educação para o Consumo - GAEEC, foi criado em 2008 e é um espaço para reflexão, trabalho e pesquisa na área da Alfabetização Econômica e Educação para o Consumo.
Organizado por um grupo de mães, professoras e especialistas em educação, preocupadas com a influência

do consumismo na formação das crianças e jovens, o GAEEC está aberto para a participação da comunidade.
Em breve, lançaremos o folder do grupo com dicas sobre Educação para o Consumo.
Enquanto isso, conheça as participantes do grupo. Você também é bem vindo!




 

domingo, 22 de setembro de 2013

Formação de professores: educação para o consumo

Em 21 de setembro ministramos oficinas com o tema "educação crítica para o consumo" para professores da educação infantil e ensino fundamental I da rede pública de Minas Gerais. Os professores participaram com muito entusiasmo e fizeram muitas descobertas. Amamos estar com gente tão acolhedora.
Fernanda Azevedo, GIselly Bennit, Ana Lúcia Meneghel, muito obrigada pelo empenho.




quarta-feira, 18 de setembro de 2013

sábado, 7 de setembro de 2013

Tenho quase 50 anos, mãe de dois filhos e celulite!

Como é duro ser "reprimida" por um padrão de beleza que não é o meu! Mais ainda quando vejo que o tempo parece não ser democrático com todos! No entanto, descobre-se que há uma realidade escondida por fotoshop! O link apresenta uma reportagem muito interessante, o padrão de beleza da TV, dos filmes, não é real: http://www.folhasocial.com/2013/09/as-celebridades-sem-photoshop-e-o-falso.html

sexta-feira, 6 de setembro de 2013

Nossa, tá tão novo que até dá dó de "jogar"! Trocas via on-line.


Você já se deparou com coisas que possui, não usa mais e que gostaria que tivesse um bom destino? Ou seja, que outra pessoa pudesse utilizar, que fosse de bom proveito para alguém e por aí afora? No link abaixo, apresentamos uma alternativa para quem quer viver com menos e não sabe o que fazer com seus objetos. A ideia é uma iniciativa muito legal: troque suas coisas via on-line.

http://revistatrip.uol.com.br/revista/224/reportagens/quer-trocar-de-vida.html

domingo, 1 de setembro de 2013

Por que os produtos chineses são tão baratos?

É lógico que gostamos que comprar coisas com preços baixos. Com certa frequência acabamos optando por produtos chineses porque o custo é inferior a muitos outros produtos nacionais similares. No entanto, você já parou para perguntar o motivo de tais produtos ser tão "barato"?. Ninguém faz milagre, portanto, se o custo é baixo é porque alguém está pagando por isso. Veja a reportagem do link abaixo.http://liberdadeeconomica.com/home/2013/08/31/mulher-compra-brinquedo-chines-e-encontra-carta-de-funcionario-escravo-pedindo-socorro/

segunda-feira, 22 de julho de 2013

Fantástico: Você é o que você sabe sobre o que come!

Mamães de plantão! Precisamos aprender a fazer perguntas. Elas não precisam ser complicadas. Uma perguntinha simples como essa "Quantos morangos têm um iogurte sabor morango?" gerou um vídeo fantástico, que nos mostra que, se continuarmos a ignorar nossos direitos, estaremos colocando em risco nossa saúde a de nossos filhos. Assista o vídeo: http://www.youtube.com/watch?v=fbN0rTz8YvY&feature=youtu.be&a.
Garanto que você vai amar o vídeo.

segunda-feira, 15 de abril de 2013

E quando meu filho faz um berreiro na frente dos outros?

Essa é uma pergunta comum. Os pais se sentem constrangidos demais diante dessa situação. Pudera!
Colocam sua autoridade em questão.
Para evitar essas situações, em primeiro lugar, é sempre bom conversar com o filho o que será comprado no supermercado antes de sair de casa.
Os pais podem ou não permitir que o filho escolha algo para comprar. Porque podem "não permitir"? Porque não deve ser regra comprar algo sempre que sai de casa.
Se os pais permitirem que o filho compre algo, deve estabelecer a quantidade e o preço, por exemplo, um produto, até R$5,00.
É bom evitar dizer que não vamos comprar "porque hoje não tem dinheiro" (a menos que isso seja verdade). Sugiro: Não vamos comprar porque não precisamos disso agora.
Esse tipo de comportamento auxilia a evitar os escândalos. E com persistência dos pais, o filho vai entendendo.
Mas e se ele se jogou no chão, etc.?? Bem, você pode chegar bem pertinho dele e dizer firmemente: "Você vai levantar sozinho ou quer ajuda?" Ou "Desse jeito é impossível conversarmos sobre o que você quer" Ou "Não consigo entender o que está acontecendo com esse berreiro todo". Se o filho já conhece seu ponto fraco, não vai ser fácil. Mas, essa atitude costuma ser um "elemento surpresa" para o filho porque foge do padrão de comportamento daquilo que os pais normalmente fazem.
Se for preciso, pegue seu filho no colo e saia do supermercado. Tenha calma em esperar até que ele fique tranquilo sem ameçá-lo com palavras. Depois explique que não dessa maneira que se resolve o problema, que você entende que ele queira um montão de coisas gostosas, mas que hoje não será possível. 
Evite dizer palavras que procuram desculpar a situação para que as pessoas ouçam: "Não foi assim que te eduquei". "Você vai ver quando chegarmos em casa". Os pais falam isso porque estão morrendo de vergonha porque não conseguem controlar a situação. E para ser mais rápido, compram o que o filho quer e saem rapidinho do supermercado.
Isso é alimentar negativamente o comportamento.
Evite dizer palavras que procuram desculpar a situação na qual você se encontra para que as pessoas ouçam: "Não foi assim que te eduquei". "Você vai ver quando chegarmos em casa".
Os pais falam isso porque estão morrendo de vergonha porque não conseguem controlar a situação. E para ser mais rápido, compram o que o filho quer e saem rapidinho do supermercado.
Isso é alimentar negativamente o comportamento.
Respire fundo, sua coerência vai fazer diferença na vida de seu filho!

quarta-feira, 27 de março de 2013

Consumo, solidariedade e Páscoa

O Centro Educacional Alcides de Paula Braga é uma escola pública municipal localizada na cidade de Monte Santo de Minas - MG. Lá, as ações para comemorar a Páscoa mobilizaram os alunos, professores, funcionários e pais para fazer o bem e refletir no concreto o significado da palavra "solidariedade".  A Diretora, profª Neuza Maria Rodrigues de Oliveira e a Coordenadora do Período Integral (Projeto "Espaço Integral"), profª Daniela Merxede incentivaram toda equipe a se mobilizar por uma Páscoa não consumista e solidária. O resultado não poderia ser outro, a equipe de professores da escola se desdobrou para que as crianças compreendessem além das palavras o que é  cidadania, ética, moral e incentivando os alunos a não serem consumistas.
A Coordenadora Daniela, explica que:
- Este ano nós enfatizamos a solidariedade, partilha, transformação, mudança e paz. As crianças fizeram doações de mantimentos para o Hospital do Câncer de Barretos. Aqui nós estamos educando as crianças para o não consumismo.

Páscoa 2013 - Solidariedade e Amizade
Viver a Páscoa é trabalhar no dia-a-dia para acabar com a fome, o desemprego, o analfabetismo, a violência
Nesta Páscoa participe deste gesto de solidariedade: doe copos descatáveis, papel higiênico, ou bolachas para o Hospital do Câncer de Barretos. Este é o nosso gesto concreto!
 
Parabéns a todos da escola! A comunidade deve sentir-se orgulhosa por tudo o que conseguiu concretizar.


quarta-feira, 13 de março de 2013

Propaganda e a responsabilidade dos pais

Segue um texto bem humorado que nos chama atenção sobre nosso papel de pais/mães e a publicidade para crianças. Vale a pena lê-lo.
DESLIGA A TV E VAI COMER BRIOCHE!
http://infancialivredeconsumismo.com/index.php/desliga-a-tv-e-vai-comer-brioche/
 


Posted: 12 Mar 2013 04:00 AM PDT

Texto de Ana Júlia Portela*

Não entendo essas mães que reclamam da publicidade infantil. Criam fan page nas redes sociais, exigem leis que protejam a infância, cobram uma atitude do Conar e ficam enchendo o saco dos publicitários. Será que elas ainda não se deram conta de que há um caminho mais fácil? Até Maria Antonieta já sabia disso há duzentos e tantos anos.
 Não gostam, não usem. Acham a tarifa de luz cara? Peçam pra cancelar o serviço. O transporte público é ruim? Vão pro trabalho a pé. Estão cansadas de esperar na fila do SUS? Parem de adoecer. Maria Antonieta, minha querida, quanta sabedoria por debaixo do vosso régio topete!

Viram como é simples? Se desdenham do pão, comam brioche, suas reclamonas! Sempre há uma segunda opção.

“Então quer dizer que, se desligarmos a TV, a publicidade infantil vai parar de se aproveitar da ingenuidade das crianças?”

Sim, mas isso só se aplica às crianças cujos pais desligarem a TV.

“E as outras crianças? Que se danem?”

Mas que raio de mania é essa de se preocuparem com as outras crianças! Cuidem dos seus filhos, vão pra casa e façam ativismo de sofá, de preferência sem se levantar do sofá.

“Acontece que o marketing infantil não está só na TV. Está em quase tudo: internet, gibi, outdoor, panfletos. Tudo contaminado.”

Mas vocês têm opção: desliguem a internet, o outdoor, os gibis. E, sobretudo, desliguem a TV.

“Mas se todas as mães desligarem a TV, não vai ser ruim para os publicitários? As crianças não veriam mais a publicidade dirigida a elas…”

Exato. A publicidade infantil iria acabar, porque os anunciantes não teriam retorno.

“Então por que os publicitários nos mandam desligar a TV?”

Ei, você não levou a sério esse papo de comer brioche, levou?

*Ana Julia Portela é mãe, professora, violoncelista, estilista, pós-graduada em Psicomotricidade pela PUC-Minas e autora do blog Ensine seu filho.

domingo, 27 de janeiro de 2013

Lançamento de livro

É com grande prazer que anuncio o lançamento do livro A escola contemporânea e os novos desafios aos educadores, organizado pela professora Luciana Maria Caetano e publicado pela Editora Paulinas. Nele apresento um dos capítulos entitulado " FAMÍLIA, FILHOS E CONSUMO, RELAÇÃO EQUILIBRADA? ".

O principal objetivo deste livro é levar o leitor a refletir sobre temáticas que os autores, docentes de diversas universidades do Brasil, compreendem como novos desafios ao educador na escola atual, tendo como referencial teórico os estudos de Jean Piaget sobre a epistemologia genética e o desenvolvimento humano.
Luciana Maria Caetano discute a questão do respeito nas relações interpessoais na escola e na família;
Betânia Alves Veiga Dell Agli escreve acerca da vontade como regulador afetivo, pensando na ausência de interesse, envolvimento e atenção nas aulas;
Heloisa Helena Genovese de Oliveira Garcia trata da construção de relações cooperativas pensando em boas intervenções do professor partindo de atividades lúdicas;
Maria A. Belintane Fermiano reflete sobre o problema do consumismo que ronda filhos, famílias e chega às escolas transformando-as em objeto de mercado;
Fernando Augusto Bentes de Souza disserta sobre o amor - a principal virtude na profissão de educador;
e Solange Franci Raimundo Yaegashi aborda o desafio da promoção do desenvolvimento cognitivo dos alunos discutido à luz das dificuldades de aprendizagens.
A intenção é contribuir com a formação e a reflexão de estudantes de Pedagogia, de professores e demais interessados, apresentando os resultados das pesquisas relacionadas a aspectos cognitivos, afetivos, morais e sociais de crianças e jovens, de maneira bastante acessível, para que a leitura seja a um só tempo, enriquecedora, formativa e incentivadora de transformações do agir docente, bem como fonte de novas ideias e novos questionamentos.

sexta-feira, 18 de janeiro de 2013

Marieanela Denegri: escolhida como personalidade mundial

A professora Marianela Denegri Coria, da Universidad de la Frontera, UFRO-Chile, foi reconhecida como personalidade mundial por seus trabalhos voltados a pesquisas com o consumo, educação econômica, socialização e alfabetização econômicas  na América Latina. Eleita pela organização Marquis Who's Who dentre 5.000 mil personalidades, que observou suas contribuições na área das Ciências Sociais. Registro aqui minha homenagem a essa querida professora com quem eu aprendo tanto e que ampliou significativamente minha visão de mundo e proporcinou a oportunidade de trabalhar com temas significativos para as famílias: consumo, infância e família.
Segue o link, para maiores informações:

http://www.ufro.cl/index.php?option=com_content&view=article&id=834%3Ainvestigadora-ufro-es-reconocida-como-personalidad-mundial-segun-organizacion-marquis-whos-who&catid=3%3Adestacado&Itemid=215#.UPdDcrWNkPw.facebook